Capa > Viagens > América do Sul > Brasil > Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos
Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 StumbleUpon 0 Pin It Share 0 0 Flares ×
Descer a serra sempre esteve longe de nossos planos e o principal motivo para isso é simples: não somos muito chegados a uma praia. Entretanto, eu fui o felizardo ganhador de uma promoção do @Subviagens no twitter que dava direito aos seus seguidores, uma viagem à Paraty, com acompanhante para aproveitar o Bourbon Festival Paraty 2010 que reúne em três noites nomes nacionais e internacionais do Jazz, Blues, Soul e R&B. Nunca fui adepto de promoções e confesso que fiquei surpreso e extremamente feliz quando vi uma mensagem que dizia:

“Parabéns, @DioLord! Vc foi o vencedor de nossa promoção e vai curtir o Festival Internacional de Jazz em Paraty. Esperamos seus dados via DM.”

Daí em diante, tanta história surgiu e contaremos tudo em 2 partes.


O festival começava dia 28 de Maio e terminava no dia 30. Dois fatos interessantes rodeiam essas datas: 1º meu aniversário seria um dia antes da viagem e o dia 30 era o último dia de férias de @drusnake. Dada as circunstâncias não tínhamos razões para não incluir esta cidade em nosso TXT. O que esperar de Paraty? Uma Ouro Preto com praia? Não, e até agora não tenho palavras para descrever. Como foi uma viagem nada planejada, passamos por algumas ciladas. Nos perdemos na ida, usamos a pior rota de chegada e ainda levamos um calote!

4667653838 b7733db9f8 Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Paraty – se não contar o destino qualquer pessoa diria que o lugar fica em algum cantinho de Minas Gerais

Depois de uma semana estressante em São Paulo, não víamos a hora de colocar o pé na estrada. Tínhamos duas opções de rota, ir pela Rio-Santos, que era a mais longa (1 hora a mais de percurso) e a mais bonita já, que ela segue por toda a costa litorânea ou seguir pela Dutra e encurtar a chegada. Optamos pela segunda, porque  a ansiedade em chegar falou mais alto, vale também lembrar que tanto o Google Maps quanto nossos GPSs indicaram  esse caminho.

Depois de Guaratinguetá, deveriamos seguir por Cunha até o destino. No entanto, a divisa de Paraty não chegava nunca. Paramos no primeiro e único posto em kilometros percorridos afim de abastecer e pegar algumas informações. Realmente estávamos no caminho certo, mas ainda teríamos que enfrentar uma estrada de terra de 5km que não deveria ser muita encrenca para nós que já fomos para Visconde de Mauá e adquirimos muita experiência no assunto.

4667650220 e84cd62e7e Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

A noite de Paraty, famosa por seu charme, que foi testada e aprovada!

Às margens daquela estradinha vicinal avistamos uma cachoeira. Com a certeza de ter encontrado a primeira atração, encostei e fui de encontro a natureza. @drusnake estava muito receosa com relação a segurança do local (deserto, muito deserto) preferiu não sair de perto do carro. De repente ela vira pra mim e solta um apavorado “CORRE!”, sem pestanejar eu obedeço e tiro a  gente daquele lugar. Ela disse ter ouvido alguns assobios e ao invés de ficar e descobrir se eram de bicho ou não, demos o fora. O problema é que a arrancada fez um pequeno rasgo no pneu o que me fez parar novamente mais a frente nessa estrada  no meio do nada, lá vou eu sujar as mãos.

4667036373 ef54d0baf0 Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Cartão Postal de Paraty

Para nossa sorte um outro veículo vem na direção contrária e nos oferece ajuda. Era um outro casal, também perdido, que estava voltando porque a estrada só piorava e eles pensavam estar no caminho errado. Pneu trocado, mãos sujas de graxa, hora de seguir e enfrentar a tal “estrada” que na verdade era uma trilha de lama e pedra. 30 km a uma velocidade média de 15km/h. Aquela 1 hora a mais pela Rio-santos parecia ótimo idéia agora!

4667650806 a1afdde84f Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Um dos muitos cafés da cidade, mas esse em especial já passaram pessoas como Mick Jagger e agora @drusnake e @DioLord

Chegamos no início da noite e como estávamos exaustos, fomos direto para a pousada tomar um bom banho e comer alguma coisa.

Ah sim, a pousada, como eu disse acima ganhamos o pacote completo com a estadia inclusa. Nos hospedamos na Porto Imperial que fica bem no centro histórico de Paraty a poucos metros do palco armado para  o Festival. Sua entrada é acanhada, mas o conforto, hospitalidade, atendimento e decoração são impecáveis! Em estilo colonial, esse casarão bem preservado nos remete ao passado. Cada canto do lugar é charmoso, desde os jardins internos, sala de massagem, spa, sauna, loja de vinhos e a piscina! Essa merece destaque, com uma jacuzzi acoplada. Cada quarto tem o nome de personalidades  ilustres brasileiras. O que ficamos chamava “Emilinha Borba”. Puro luxo! Todos os funcionários eram solicitos e nos faziam sentir muito especiais! Local aconselhado para qualquer pessoa de bom gosto!

4667687150 4b29bd86eb Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Equipe da Pousada Porto Imperial. Tratamento digno da realeza.

Fomos dar uma volta pela cidade. A boa fama da noite de Paraty foi comprovada! Totalmente delicioso passear pelo centro histórico recheado de cafés, restaurantes, lojas de artesanato e artes. As ruas são todas de pedra, salto alto e sapato desconfortável nem pensar! De chinelo já é uma dificuldade! Como a cidade era anfitriã do Festival de Jazz, estava bem cheia, pelas ruas o grupo Buskers anima as vielas com músicas instrumentais de todos os gêneros. Todas as ruas são bem parecidas, então ás vezes temos a sensação de andar em círculos. Alguns fatos são peculiares na cidade, mesmo sendo um local predominantemente turístico, o atendimento não é dos melhores, salvo exceção na Pousada que ficamos que difere de tudo que presenciamos na região. Sentar em uma mesa e o garçom passar por você diversas vezes, fingindo que não te viu é comum. Isso deixa os nervos de qualquer pessoa à flor da pele. Haja espírito aventureiro!

4667655120 593c87e9e5 Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Leo Gandelman, esse gênero não é a “nossa praia”, mas adoramos a qualidade técnica dos músicos

Vá prevenido pois são poucos os lugares que aceitam cartões e se certifique antes de consumir. Novamente caímos na besteira de comer pizza no RJ. Na Pizzaria Taberna eles possuem o logo dos cartões de crédito na parede, mas quando você vai pagar: “Só aceitamos débito”. Se o serviço não vale os 10%, a comida salva! Tomamos umas das melhores caipirinhas de nossas vidas na Cachaçaria VilaReal, um delicioso sorvete de Kinder ovo com Ferrero Roche na sorveteria Miracolo e iscas de um peixe da região chamado Sororoca, parecido com pescada branca, sem espinhas na Escuna Caxangui.

4667653418 09565c3a02 Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Palco do Bourbon Festival. Organização nota 10.

Na primeira noite as atrações eram Leo Gandelman & Diogo Poças, Glen David Andrews, Big Time Orchestra e DJ Bebeto! Assistimos parte do  primeiro show, nunca havíamos visto Léo Gandelman e foi muito bom, agora nem preciso dizer que nas outras noites quando entrava o DJ estragava tudo!

4667039375 bc28bf9e1a Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Mais um momento “será que pulo?” à bordo da Escuna Caxangui

Ainda em São Paulo resolvemos reservar um passeio de escuna, com receio de chegar na hora e não haver lugares disponíveis. NÃO FAÇAM ISSO! Entramos no site da encantadora Escuna Titina que e oferecia até opção de almoço com comida japonesa. Pagamos 50% e o restante seria acertado no embarque.

Conseguem imaginar o que aconteceu? No dia marcado, fomos até o Cais da cidade para o passeio em alto mar. Ao lado direito do deque, várias opções de escunas de todos os tamanhos, preços e atrações disputavam aos tapas os turistas. Na busca pela Titina, perguntamos para alguém que nos apontou no lado oposto uma embarcação digamos precária, que perto das demais parecia mais um bote à deriva. Na hora veio uma sensação que era um misto de decepção, arrependimento e frustração. Em seguida o péssimo atendimento de um gringo pra lá de esquisito somado a faixa de “Vende-se” e a possibilidade dele nos encaminhar para outro barco caso aquele não tivesse quórum, veio a certeza de que havíamos caído em uma furada. Óbvio que os termos manutenção e segurança não faziam parte daquilo. Melhor não arriscar, em alto mar se algo acontecer não tem para onde ir! Mais tarde descobrimos que todas as embarcações que ficam no lado esquerdo do deque não tem autorização pela Capitania dos Portos para navegar. Adivinha de qual lado estava a Escuna Titina?

4667666292 e9279be56d Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Ilha Comprida onde tem as águas mais claras de Paraty

Escolhemos outra, desembolsamos no total mais do que queríamos e valeu muito a pena! A Escuna Caxangui nos fisgou porque sua proprietária Ana foi uma excelente vendedora e por ser uma das únicas que não possuia música ao vivo, rala coxa e pessoas quase penduradas por todas os lados!

Esse passeio é imperdível! Dura aproximadamente 5 horas percorre a baía de Paraty passando por várias ilhas e praias, repletas de Mata Atlântica. Dentre as ilhas particulares, passamos pela da família do Amir Klink, Roberto Marinho, do dono das duchas Lorenzetti e do Presidente da Fiat no Brasil que construiu uma réplica de um castelo, ou seja, só gente humilde!

No roteiro, a primeira parada foi em Ilha Comprida onde a escuna atraca para que possamos pular na água com os peixinhos. Esse é o lugar onde tem a água mais clara da região quase transparente, indescritível a sensação de nadar com snorkel. Em seguida fomos a Praia da Lula que tem esse nem razão de uma lula de 80 metros que foi encontrada por lá. Não existe nenhuma prova o que faz dessa a típica estória de pescador. Não vimos atrativo, afinal era um pedaço de praia comum, então nem descemos para conhecê-la. Depois fomos a Praia Vermelha, com árvores em toda sua extensão que em determinadas épocas dão flores desta cor. Fizemos questão de descer, por que sua paisagem era mais deserta com pedras na encosta onde batiam as ondas. Fomos em um pequeno bote com o capitão da embarcação, Francisco, praticamente Veneza :) ! A quarta parada em alto mar foi para a refeição e não nos lembramos do nome do lugar. Com a energia reposta, a escuna segue o caminho de volta e passa por outras ilhas, todas com nomes e histórias distintas. Uma que vale a pena relatar é a Ilha do Mantimento,  batizada assim porque os portugueses deixavam ali os alimentos quando a maré estava muito alta para chegar ao cais, é nela existe o castelo e também é a ilha mais bonita.

4667047851 d68bf2a286 Paraty: Jazz, Praia, História e Encantos

Ilha do Mantimento, réplica de um castelo em pleno Atlântico

Em terra firme, voltando para o hotel: Momento Bizarro. Nos deparamos com Jack Sparrow ou como ele se auto-intitula Pirata de Paraty. Tiramos fotos e trocamos endereços de nossos sites. Afinal, ele tem vários vídeos no YouTube. Encerramos o sábado com uma visita pela cidade, museus e outros pontos turísticos. São tantas lojas que você consegue passar horas olhando de artesanatos à bebidas. Uma ótima pedida é experimentar a cachaça Gabriela, destilado típico de Paraty com cravo, canela e gengibre.

 

É praticamente impossível falar de Paraty e não citar Trindade. Para aproveitar até o último segundo, no retorno pela Rio-Santos decidimos parar neste tão falado “paraiso”. Com o nome das prais imperdíveis(e de fácil acesso): Cepilho e a do Meio.

A sinalização para é quase inexistente, apenas uma placa escondida com os dizeres Patrimônio de Trindade indica a saída. A estrada a partir dai é sinuosa, cheia de curvas e em alguns trechos bem estreita, cuidado.

5 km e avistamos a, chegamos na Praia do Meio. O que dizer do que encontramos? Á havíamos pesquisado antes sobre Trindade e as opiniões eram divergentes. Uns achavam que era imperdível bela beleza natural, outros preferiam Paraty pela infra- estrutura, charme, hospedagens. Li relatos de que a polícia era rígida no local, por causa da tradição de que o local é preferido pelos maconheiros de plantão.Pensamos que poderia ser um exagero e pagamos para ver.

 

3 comentários

  1. Olá, Ralph!

    Legal você ter ganho a promoção.

    Viajar é muito bom e na faixa é melhor ainda.

    Adoramos sua descrição e fotos sobre Paraty.

    Você detalhou muito bem todos os aspectos da viagem e da cidade.

    Até colocou foto da Equipe da Pousada. Em viagens, as pessoas realmente fazem a diferença.

    Dicas assim serão muito bem vindas na nova rede social de viagens “Milevo”.

    Esperamos você lá!

    http://www.milevo.com.br

    Abs,

    Equipe Milevo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 StumbleUpon 0 Pin It Share 0 0 Flares ×