Capa > Shows > AC/DC: Rock n’ Roll em Carne e Osso
AC/DC: Rock n’ Roll em Carne e Osso

AC/DC: Rock n’ Roll em Carne e Osso

Anunciada a data da turnê “Black Ice” do AC/DC, dia 27 de Novembro em São Paulo Rock City. A última vez que fincaram seus pés australianos em terras tupiniquins foi em 1996 e depois de 13 anos essa seria a única apresentação no Brasil. Já imaginava o nível de dificuldade para conseguir 1 , 2 e mais tarde 3 ingressos. Sim, introduzi dois seres nessa aventura que mais tarde beijaram meus pés em idolatria, @DioLord e @swtchrrp.

Dia 01 de Outubro, 24 dias que antecediam meu aniversário começaram as vendas pela Ticketmaster e em alguns locais espalhados pela cidade. Nos sites, fóruns e comunidades afins, a legião de fãs faziam terrorismo,  diziam que de Porto Alegre sairiam 8 ônibus fretados, do Rio de Janeiro 7, de Santa Catarina 5, ou seja era a romaria Rock n’ Roll da década. À princípio desconfie de tanta parafernália e cheguei a achar que pudesse ser pura especulação!

.
@swtchrrp, @drusnake e @rdio Let There Be Rock!

Optamos pela Internet, o caminho mais rápido e fácil. HA! Quem? Aonde?Quando? @DioLord obstinado em conseguir os tickets, preparou o kit energético, catuaba, pó de guaraná e notebook, em vão já que o site de vendas ficou fora do ar desde meia-noite  até o 3:00 da madrugada, se voltou depois não sabemos, porque dormimos em cima do PC.

Resumindo nossa epopéia em busca dos ingressos encantados, @DioLord correu no dia seguinte em um posto de venda e já na fila ainda sofreu alguns percalços, como boatos do tipo, “ já esgotaram todos os setores”, “meia entrada não tem mais” e etc. Ao chegar na porta do paraíso (guichê), a elfa encantada( uma mocinha que pela cara odiava o seu trabalho e não aguentava mais repetir a mesma frase para um bando de cabeludos esquisitos), entregou a Excalibur para o @DioLord (os ingressos impressos em papel com cara de reciclado com as letras garrafais AC/DC).

.

Flash Forward: Redondezas do Morumbi 18:00h chuva típica, caos, trânsito, fila em todos os portões exceto no nosso, cadeira vermelha especial. Ao entrar vimos a magnitude do palco, e a pista abarrotada logo lá na frente: o cenário era um capítulo à parte, que mais tarde mostraria toda a sua potencialidade, por hora apenas avistava dois pares de chifres imensos no alto dos telões.

A banda de abertura foi o grande e único erro da produção do evento: NASI(ex IRA, protótipo de comentarista futebolístico e nas horas vagas toca um rocknrollzinho mequetrefe). Em companhia de Andreas Kisser no seu set list o Wolverine dos Trópicos incluiu desde “Por Amor” (que eu traduzo como “PelaMOR”), passando por covers de Clash, Plebe Rude, Stooges e  até Raul Seixas. ?! Toca Raul?

.

@rdio and Me

Flash Forward: Pontualmente às 21:30h as luzes se apagam e os chifrinhos se ascendem e nos telões uma animação com Angus Young que seria a abertura de “Rock n’ Roll Train” abrindo caminho para a famosa locomotiva de 6 toneladas invadir o palco. As 70 mil pessoas sentiram os pelinhos do braço arrepiar e fizeram questão de demonstrar  isso na energia e coro coletivo.

Em seguida Brian Jhonson  e cia, mandaram “Hell Ain´t a Bad Place to Live” e “Back In Black”, nesse momento eu assumo que quase chorei, mas não fui a única, afinal como disse lá em cima carreguei comigo mais dois seguidores e quando raramente eu tirava os olhos do palco e olhava ao lado via @DioLord completamente extasiado e @swtchrrp em transe! Mas isso não era apenas alguns sintomas isolados, qualquer um que lá esteve, sofreu das mesmas consequências.

.

Angus e a cueca mais rock and roll!

O show de efeitos continuou a surpreender, um sino surgi no centro do palco e Brian, depois de correr como um garoto,  se balança provocando as badaladas que antecedem os primeiros acordes de “Hell’s Bells”. Fez presença como convidada Rosie uma boneca inflável de 30 metros de altura que dançou de lingerie ao ritmo de “Whole Lotta Rosie”.

Angus Young para variar fez seu show á parte, elétrico e vibrante como sempre, em “The Jack” com sua vestimenta básica, tirou as calças e mostrou sua cueca a inscrição AC/DC dividindo o seu traseiro (Oerrrrr!). Mais tarde em quanto os outros membros da banda tomavam fôlego, o “menino” solaria por uns 20 minutos em meio a luzes, gritos e papel picado!

27112009501

Surpreendente? O melhor ainda estaria por vir em “For Those About to Rock”, canhões estrategicamente direcionados para o público, sincronizados com cada Fire! que o vocalista ordenava, atiravam fogo em um som ensurdecedor.

Durante as quase 2 horas de apresentação, a banda conseguiu manter a euforia do público e mostrou como se faz um bom e velho Rock N´Roll. Sem dúvida foi um dos melhores shows que assisti na minha vida e posso assegurar que a lista é extensa. Com o início dos fogos, sacamos que era próximo o fim. Mesmo enfrentando o trânsito ao redor do estádio, o cansaço e a fome, ficou um sentimento coletivo de quero mais que se consolidou no dia seguinte com a típica depressão pós show.

4145517572_aeac375bee

Rosie

Set list
1 – Rock N’ Roll Train
2 – Hell Ain’t a Bad Place to Be
3 – Back in Black
4 – Big Jack
5 – Dirty Deeds Done Dirt Cheap
6 – Shot Down in Flames
7 – Thunderstruck
8 – Black Ice
9 – The Jack
10 – Hells Bells
11 – Shoot to Thrill
12 – War Machine
13 – Dog Eat Dog
14 – You Shook Me All Night Long
15 – T.N.T –
16 – Whole Lotta Rosie
17 – Let There Be Rock

Bis
18 – Highway to Hell
19 – For Those About to Rock (We Salute You).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>